1º de Maio - Dia do trabalho

Em 1886, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos, milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho. Dentre as principais reivindicações estavam a redução da jornada de 13 para 8 horas, melhores salários, descanso semanal remunerado e um período anual de férias. Nesse mesmo dia ocorreu no país uma greve geral de trabalhadores. Os conflitos com a polícia se tornaram constantes. Oito operários morreram nesses embates. Muitos trabalhadores foram presos e alguns foram enforcados depois de um julgamento injusto, em que foram acusados de liderar as manifestações que tiveram início no dia primeiro de maio. 

Em 4 de maio de 1886, novas manifestações tomaram conta das ruas de Chicago. Desta vez, morreram 12 trabalhadores e dezenas de pessoas ficaram feridas.

A escolha da data do primeiro de maio foi feita pela Segunda Internacional Socialista, reunida em Paris, em 1889. Foi uma homenagem aos trabalhadores mortos pela repressão policial nos Estados Unidos.

No Brasil, o primeiro de maio é comemorado desde o ano de 1925, por decreto sancionado pelo presidente da república Artur Bernardes. Em 1940, o presidente Getúlio Vargas anunciou o novo salário mínimo. Em 1941, a data foi utilizada para marcar a criação da Justiça do Trabalho, que visava resolver os conflitos existentes entre os trabalhadores e seus patrões. Hoje, as manifestações não possuem a mesma vitalidade e força de antes, mas elas ainda existem e, embora, às vezes, tenham carácter celebrativo, a sua maioria ainda é de caráter reivindicatório.

A crise econômica que o Brasil vem enfrentando em 2016 tem como característica principal a perda de credibilidade do governo e da política econômica, afetando o mercado de trabalho e a geração de empregos, resultando em demissões em massa. Quando as empresas são afetadas, os trabalhadores também são afetados porque eles dependem da atividade econômica para poder manter os seus empregos, nesse cenário de crise, o primeiro setor afetado é o econômico e dentro dele, as relações de trabalho.

 

Fontes:

http://www.unicuritiba.edu.br/noticias/perspectivas-trabalhistas-para-2016-diante-da-crise-economica-no-brasil e http://www.empreendedoresweb.com.br/crise-economica-de-2016/

SSpS - Missionárias Servas do Espírito Santo - Província Stella Matutina - Todos os direitos reservados
Rua São Benedito, 2146 - Santo Amaro - São Paulo - SP | Tel. (11) 5687-7229