CFE - 2016: CASA COMUM, NOSSA RESPONSABILIDADE

Em 10 de fevereiro foi lançada a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016. O tema da campanha deste ano é “Casa Comum, nossa responsabilidade”, e o lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5.24). A campanha deste ano busca fortalecer a construção de políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro da Casa Comum, ou seja, do planeta Terra. Este ano, a campanha tem dimensão internacional, pois está sendo realizada em parceria com a Misereor, entidade vinculada à Igreja Católica da Alemanha que trabalha na cooperação para o desenvolvimento da Ásia, África e América Latina.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica é realizada pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic) e assumida pelas igrejas-membros: Católica Apostólica Romana, Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Episcopal Anglicana do Brasil, Presbiteriana Unida do Brasil e Sírian Ortodoxa de Antioquia. Além dessas igrejas, estão integradas à campanha a Aliança de Batistas do Brasil, Visão Mundial e Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (Ceseep). 

Dom Flávio Irala, presidende da CONIC disse sobre a campanha deste ano: "Acreditamos que um mundo de justiça e direito precisa ser construído assim: coletivamente, somando as criatividades, os talentos e as experiências em benefício do bem comum. Que essa CFE fortaleça a fé e a esperança de uma Casa Comum, em que o direito brote como fonte e a justiça qual riacho que não seca!"

Embora a Campanha da Fraternidade se encerra no final da Quaresma, a sua proposta de reflexão continua durante todo o ano. Vamos colocar em prática as propostas da CEF 2016 para juntos garantirmos um futuro da nossa casa comum!

 

Assista o vídeo completo da Campanha:

 

Hino da Campanha:

Por que é importante cuidar da nossa Casa Comum?

Cuidando de nossa Casa Comum, garantimos qualidade de vida e o não esgotamento da fauna e flora para nós e para as próximas gerações. O Papa Francisco em sua encíclica Laudato Si' sobre  o cuidado da casa comum, propõe “uma conversão ecológica global”, “mudanças profundas nos estilos de vida, nos modelos de produção e de consumo, nas estruturas consolidadas de poder”(LS n.5). Esse propósito jamais será alcançado senão amarmos efetivamente a Terra como nossa Mãe e soubermos renunciar e até sofrer para garantir sua vitalidade para nós e para toda a comunidade de vida (LS n.223). A Mãe Terra é a base que tudo sustenta e alimenta.

Cuidar da Terra é principalmente cuidar de sua integridade e vitalidade. É não permitir que biomas inteiros ou toda uma vasta região seja desmatada e assim se degrade.

Cuidar da Terra é cuidar dos “commons”, quer dizer, dos bens e serviços comuns que ela gratuitamente oferece a todos os seres vivos como água, nutrientes, ar, sementes, fibras, climas etc. Estes bens comuns, exatamente por serem comuns, não deveriam ser privatizados e transformados em mercadorias no sistema de negócios como está ocorrendo velozmente em todas as partes.

Cuidar da Terra é cuidar daquilo que ela produziu em culturas tão diversas, em línguas tão numerosas, em arte, em ciência, em religião, em bens culturais especialmente em espiritualidade e religiosidade pelas quais nos damos conta da presença da Suprema Realidade que vem de todos os seres e nos carrega na palma de sua mão.

Cuidar da Terra é cuidar dos sonhos que ela suscita em nós, de cujo material nascem os santos, os sábios, os artistas, as pessoas que se orientam pela luz  e tudo o que de sagrado e amoroso emergiu na história. Cuidar da Terra é, finalmente, cuidar do Sagrado que arde em nós e que nos convence de que é melhor abraçar o outro do que rejeitá-lo e que a vida vale mais que todas as riquezas deste mundo. Então ela será de fato a Casa Comum do Ser.

Leonardo Boff

 

Oração da CEF 2016 

Deus da vida, da justiça e do amor,

Tu fizeste com ternura o nosso planeta,
morada de todas as espécies e povos.

Dá-nos assumir, na força da fé
e em irmandade ecumênica,
a corresponsabilidade na construção
de um mundo sustentável
e justo, para todos.

No seguimento de Jesus,
Com a Alegria do Evangelho
e com a opção pelos pobres.

Amém!

 

SSpS - Missionárias Servas do Espírito Santo - Província Stella Matutina - Todos os direitos reservados
Rua São Benedito, 2146 - Santo Amaro - São Paulo - SP | Tel. (11) 5687-7229