Irmãs SSpS comemoram 115 anos no Brasil

 

Por coincidência ou ‘cristocidência’, o Dia do(a) Religioso(a), neste ano de 2017 caiu no dia 20 de agosto, dia em que a nossa congregação completa 115 anos de chegada ao Brasil. Relembre a trajetória de desafios e conquistas destas mulheres de fé que doaram suas vidas à missão, respondendo ao chamado de Deus de forma intensa e corajosa.

COMO TUDO COMEÇOU

  
Casa missionária em Steyl, Holanda.

Hoje as Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo estão em 47 países e em todos os continentes.  Mas ela se originou com apenas 6 irmãs!

A Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo surgiu no bojo de um sonho missionário de Arnaldo Janssen, na segunda metade do século XIX. Com a colaboração de várias pessoas, a aspiração desse jovem padre tornou-se um projeto, que se concretizou com a fundação de uma Casa Missionária, em Steyl (foto), no território da Holanda. Esse fato chegou ao conhecimento público e atraiu a atenção de algumas jovens mulheres interessadas em associar-se a um projeto missionário de longo alcance.

Foi assim que, com a colaboração indispensável de Maria Helena Stollenwerk (Madre Maria) e de Hendrina Stenmanns (Madre Josefa) e outras quatro jovens aspirantes (Theresia Sicke, Elisabeth Bielefeld, Gertrud Hegemann e Bertha Becker), em 8 de dezembro de 1889, foi fundada a Congregação das Missionárias Servas do Espírito Santo.

Logo no início, Santo Arnaldo Janssen propôs que as Irmãs trabalhassem primeiramente nas escolas, para poder entrar em contato com muita gente e, através desse contato, despertar nas famílias futuras freiras e padres. Tendo como propósito espalhar a semente do amor de Deus a quem mais precisasse, as irmãs missionárias foram então enviadas a vários países com objetivos diferentes, mas que agregariam a vontade de Deus como um todo.

 

AS PRIMEIRAS MISSIONÁRIAS PELO MUNDO

As missionárias que vieram para o Brasil fizeram parte dos 5 primeiros grupos de missionárias enviadas ao mundo. Esse movimento se iniciou em 1895, seis anos após a fundação da Congregação.

O primeiro grupo, formado por apenas 4 irmãs, partiu em 1895 para a Argentina com o objetivo de abrir escolas para meninas e ensinar o apostolado para as mulheres. Dois anos depois, mais 4 irmãs vão para Togo para abrir escolas para mulheres que falavam a língua Ewe, mulheres jovens, indígenas e empregadas domésticas. O terceiro grupo, com 4 irmãs, foi à Papua Nova Guiné em 1899,  com o objetivo de escolarizar e introduzir pastorais em paróquias. O quarto grupo, com 5 irmãs, foi em 1901 para os Estados Unidos  e, por fim, o quinto grupo, chega ao Brasil em 1902. Outros grupos de irmãs foram enviadas depois para muitos outros países.

A CHEGADA AO BRASIL

As primeiras 6 missionárias da Congregação chegaram aqui no Brasil no dia 20 de agosto de 1902 e estabeleceram-se primeiramente em Juiz de Fora, dando origem à Província Stella Matutina. Foram elas: Irmã Walburguis, Laurência, Bonifácia, Crescência, Regina e Córdula. Seu objetivo era abrir internatos para meninas e reavivar a fé nas famílias cristãs.

Pioneiras SSpS no Brasil: Irmã Walburguis, Laurência, Bonifácia, Crescência, Regina e Córdula

Durante a primeira metade do século XX, essas missionárias se dedicaram à educação em colégios próprios e ao cuidado de doentes, em hospitais e Santas Casas. A partir da década de sessenta, com o advento do Concílio Vaticano II e das Conferências Episcopais Latino-Americanas de Medellín e Puebla, houve um apelo muito forte no sentido da opção preferencial pelos pobres. Várias Irmãs mudaram seus endereços rumo às periferias das grandes cidades e de lugares mais carentes do interior do País. A partir de então, além das pastorais tradicionais na educação formal e nos hospitais, a missão passou a ser compreendida também e sobretudo como um serviço aos mais carentes e excluídos da sociedade.

Com o crescimento e a expansão da Congregação no Brasil e por acaso das vocações que entravam, foi necessário dividir a Província em duas, ficando a do Norte com 344 Irmãs e a do Sul com 117 Irmãs.


A PROVÍNCIA STELLA MATUTINA (BRASIL NORTE)

No Brasil, a Província Brasil Norte conta com 13 comunidades distribuídas em 4 Estados.

“Como Missionárias SSpS, somos desafiadas a encontrar caminhos, em fidelidade criativa, para sermos realmente sinais do cuidado amoroso de Deus por seu povo” – Irmã Agada Brand, SSpS
A missão na província Brasil Norte se dá em comunidades espalhadas pelo Brasil ou em outros países, onde as irmãs procuram vivenciar o diálogo entre as culturas, a comunhão na diversidade e o acolhimento a todos, de maneira especial aos pobres e excluídos.

A sua dedicação de vida a Deus se expressa através dos mais variados tipos de trabalhos e apostolados de acordo com as necessidades mais urgentes do povo ao qual são enviadas.


Principais atividades missionárias:

  • Educação
  • Saúde
  • Crianças carentes e idosos,
  • Serviço Pastoral nas comunidades das periferias e do interior,
  • Pastoral Indigenista,
  • Justiça e Paz e Ecologia,
  • Comunicação,
  • Bíblia,
  • Catequese,
  • Formação de Lideranças,
  • Promoção da Mulher,
  • Apoio a população de rua,
  • Juventude e muitas outras.

 



Convento Santíssima Trindade, construído em 1931

Irmãs SSpS Brasil Norte em sua história…

… e atualmente:



Irmãs SSpS no Convento SS. Trindade (SP)



Ir. Malgarete, SSpS, com migrantes no Brás (SP)

Vida em comunidade

Irmãs, colaboradores e convidados durante evento de inauguração do Centro Missionário Cultural Santíssima Trindadem em junho de 2017: 

 

REDES SOCIAIS

Convento Santíssima Trindade

REDES

PASTORAL VOCACIONAL

EVANGELHO

CONHEÇA O VIVAT

Vida Missionária

ESPAÇO ABERTO

ACESSE SEU WEBMAIL

Newsletter

SSpS - Missionárias Servas do Espírito Santo - Província Stella Matutina - Todos os direitos reservados
Rua São Benedito, 2146 - Santo Amaro - São Paulo - SP | Tel. (11) 5687-7229