A importância da Neurociência e da Psicologia Cognitiva na educação

Professora Jaqueline de Souza Silva Rezende

O estudo do sistema nervoso está cada vez mais presente no novo cenário educacional, o que permite refletir como os nossos alunos aprendem. De acordo com o psicólogo estadunidense Robert J. Stenberg (2000), a Psicologia Cognitiva trata do modo como as pessoas percebem, aprendem, recordam e pensam sobre a informação. A partir dessas ideias, pode-se afirmar que a Neurociência e a Psicologia Cognitiva são importantes ferramentas para os professores em sala de aula atualmente.

Com as pesquisas mais recentes sobre o cérebro, suas partes e suas funções, é possível compreender um pouco mais sobre o processo de ensino-aprendizagem e intervir de diferentes maneiras, considerando que cada criança possui um cérebro diferente e único.

Alguns aspectos da Neurociência devem ser considerados em meio a todo esse processo de escolarização. A neuroplasticidade é a capacidade do cérebro de estabelecer novas conexões entre os neurônios durante a vida inteira. Contudo, com o avanço da idade, essa reorganização cerebral diminui. Esse é um importante fator do qual depende o aprendizado dos nossos alunos.

A motivação e a emoção são totalmente relevantes nesse novo cenário educacional. A motivação pode ser pensada como a força que compele um comportamento a acontecer. É importante considerar a motivação extrínseca (relacionada aos fatores externos, como orientações dos professores e pais) e a motivação intrínseca (que parte do próprio aluno).

As emoções nada mais são do que um conjunto de respostas químicas e neurais que formam um padrão e desempenham um papel regulador que tem como finalidade ajudar na sobrevivência. Por isso, é importante considerar que as emoções podem ser mediadoras da aprendizagem. Compreender o clima emocional da sala de aula é fundamental para o educador fazer as intervenções adequadas.

Além desses aspectos citados, a Neurociência também auxilia o educador a compreender os processos de memória, a atenção, a percepção, a inteligência, a criatividade, o conhecimento e o pensamento. Algumas atitudes dos docentes que auxiliam no processo de aprendizado são: apresentar as informações de formas diferenciadas; procurar incentivar de maneira personalizada os alunos; retomar conteúdos de modos diferentes e mediar trabalhos em grupos visando não prejudicar a memória e a perda de informações.

Sendo assim, pode-se reconhecer a importância da Neurociência e da Psicologia Cognitiva para compreender os novos alunos e como eles aprendem de maneira diferenciada e única.

 

Referência bibliográfica

 

STERNBERG, Robert J. Psicologia Cognitiva. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

 

Texto publicado na Revista Gênesis do 1º semestre de 2016.

 

Colégio Espírito Santo - 2017 - Todos os direitos reservados.
Rua Tuiutí, 1442 - Tatuapé - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3389-1000