Sugestões

Felizes Para Sempre — Kiera Cass

Alguns contos de "A Seleção", escritos, por Kiera Cass foram concentrados em "Felizes Para Sempre", publicado pela editora Seguinte em 2015. Kiera Cass é famosa pela série distópica de sucesso "A Seleção" e pela sua primeira obra escrita e mais tarde publicada "A Sereia". 

 Felizes para Sempre traz contos que esclarecem muitas situações de A Seleção, acontecimentos ou relações que ficaram obscuras à América, a personagem principal, e, consequentemente aos leitores. Acho interessante esse método dos autores em abrir e concretizar sua história a partir de outros pontos de vistas. A autora, com certeza, teria muitos problemas em explicar muito dentro da série principal e essa coletânea de contos foi extremamente útil e cabível.

 O primeiro conto, “A Rainha”, trata de uma personagem marcante e curiosa: a rainha Amberly, e explica muito sua postura na série, porém, foi um conto que acabou me incomodando. O conto demonstra o amor platônico e prejudicial que a rainha sempre nutriu por Clarkson, o que a colocou em um relacionamento complicado de abusivo. Esse conto me incomodou, pois, apesar da autora explicar na introdução deste que não era esta a intenção, acabou justificando as atitudes de Clarkson e também da submissão de Amberly.    

Mas foi interessante ver essa personagem quando mais jovem, sem aquela postura sábia que carrega - pelo contrário, Amberly é infantil e inocente nesse conto. Mas Clarkson continuou um personagem que não me agrada - não vi nada que mudasse minha opinião em relação a ele. 

 “A Favorita" foi o conto que mais me agradou. Traz a história de Marlee e Carter, história esta que ficou paralela à série e não conseguiu ter sua devida atenção na saga principal. Fiquei muito animada quando percebi que saberia o que realmente aconteceu nos bastidores. Marlee é uma personagem muito especial e firme, e adorei conhecer Carter com mais intensidade. Não gostei tanto, contudo, dos contos do Maxon e Aspen, só enfatizaram o que era obvio na "A Seleção", apesar de atribuírem mais profundidade e vida à esses personagens. 

            Há algumas cenas narradas pela Celeste, uma personagem gerou curiosidade no público de A Seleção. Há, também, um conto de Lucy, e um capitulo de “A Escolha”, e os primeiros capítulos de “A Sereia”. Kiera Cass escreveu uma introdução para cada conto seu, e achei bacana ela apresentar seu olhar, fora da própria narrativa. 

A Seguinte está de parabéns pela publicação! Não encontrei erros ortográficos, a capa é uma das mais bonitas da saga, e o designe interior é de arrasar. Existem ilustrações lindas distribuídas pelo livro! Fiquei minutos admirando-as.

           "Felizes para Sempre" foi uma obra essencial, porém, apresentou alguns pontos negativos como pressa de expor algumas cenas, Outro fato que deixou a desejar foram às descrições, que também são rasas nas outras obras da mesma autora. 

           Indico o livro para todos fãs da série. Kiera Cass pode ter várias falhas, mas ela é mestra em envolver o leitor e encarná-lo na história, com as emoções a flor-da-pele. No final do livro, você esquece qualquer potencial não alcançado e aprecia a experiência de leitura! 

 

REFERÊNCIA DO BLOGSPOT:

LANÇANOVA, Letícia. Resenha – Felizes para sempre de Kiera Cass. Palácio dos livros, 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2016.

 

REFERÊNCIA DO LIVRO:

CASS, Kiera. Felizes para sempre. São Paulo: Seguinte, 2015. 

Antologia Poética — Carlos Drummond de Andrade

Quem me conhece sabe o tremendo apreço que tenho por poesia. Não é o gênero mais popular entre os leitores jovens, tenho plena ciência — ainda que, em minha humilde opinião, muito mais gente as devoraria se tivessem um maior contato com o gênero —, mas sempre me encantei e me perdi no mundo lírico, reflexivo e levemente melancólico criado por esses autores. Sempre gostei, sim, de poesia, mas posso afirmar com veemência que o que me fez amar a poesia tem nome e sobrenome: Carlos Drummond de Andrade.

 Li, durante muito tempo, poemas e contos esparsos do autor. Já era fã de carteirinha — ouso dizer que, entre os nossos poetas, é Drummond que mais me toca —, mas sentia que precisava cada vez mais saber sobre sua obra completa (e, se tratando do autor, é válido saber que ele possui dezenas e mais dezenas de livros em sua "humilde" biografia). Demorei a encontrar um livro de Drummond que me parecesse transmitir sua essência como poeta; mas, depois de realizada essa leitura, não poderia ter me encontrado mais feliz. 

 O que me chamou atenção nessa antologia, a princípio, é o fato de ela ter sido organizada pelo próprio Carlos Drummond, em 1962. Nesse ano, o autor resolveu separar e classificar seus poemas em diferentes temas, por nove sessões, que nos são apresentadas na obra. Sendo elas O indivíduo; A terra natal; A família; Amigos; O choque social; O conhecimento amoroso; A própria poesia; Exercícios lúdicos e Uma visão da existência, conseguimos ter uma pequena palha do que nos aguarda. 

A verdade é que, em um milhão de anos, não conseguiria descrever a qualquer um todos os sentimentos que a poesia de Drummond traz a tona em meu coração. Toda a dor, toda a angústia, a revolta e a desesperança que já senti para com o mundo. Todo o carinho, o afeto, o amor e a esperança que já senti para com as pessoas. Toda a saudade, a melancolia e o apego que viver, cada dia de minha vida, já me trouxe. Esses sentimentos, tão bonitos ou feios, tão simples e tão complexos, consegui encontrar nas páginas desse livro, escrito por homem há tantos anos atrás. E, ao mesmo tempo, poderia ter sido ontem.

Com sua poesia lírica, quase musical, esse gênio brasileiro me trouxe a tona todo o sentimento do mundo, como ele mesmo já colocou. Chorei, ri e vi situações da vida com outros olhos sob a perspectiva tão realista, tão simplista e ao mesmo tempo tão complexa que nos é presenteada por Drummond. É através de versos simples, mas surpreendentemente impactantes, com situações do cotidiano, que ele irá tocar sua alma, assim como tocou a minha, e faze-lo se apaixonar pela sua poesia despretensiosa, e, por isso, tão real. 

Com uma edição simples o suficiente para não tirar o foco do principal, a poesia, mas sofisticada o suficiente para fazer jus a grandeza do autor, a Editora Companhia das Letras não poderia ter acertado mais na elaboração do design. Com as folhas amareladas e um material de ótima qualidade, uma fonte simples e diagramação bela não há como não admirar seu trabalho, e é notável o cuidado da editora ao manter o estilo de Drummond em cada página. Também não encontrei nenhum erro de ortografia sem revisão durante a edição, o que é sempre agradável. 

 Creio que não há como convencer alguém da grandiosidade de um livro, por mais que se tente, até a pessoa possuir um contato próximo com ele. A medida na qual eu posso afirmar, contudo, serei incisiva: leiam, leiam e leiam. Não é uma obra de ficção, mas trata-se de um dos melhores livros com os quais já tive contato em minha vida. 

 

 

REFERÊNCIA DO BLOGSPOT:

PRATES, Gabi. Resenha – Antologia Poética de Carlos Drummond de Andrade. Palácio dos livros, 2016. Disponível em: <http://palaciodelivros.blogspot.com.br/2016/06/resenha-antologia-poeticacarlos.html>. Acesso em: 02 ago. 2016.

 

REFERÊNCIA DO LIVRO:

ANDRADE, Carlos Drummond de. Antologia Poética. 1. ed.  São Paulo: Companhia das Letras, 2012. 

Colégio Nossa Senhora da Piedade - Todos os direitos reservados
Av. Amaro Cavalcanti, 2591 - Encantado - Rio de Janeiro - RJ | Tel. (21) 2594-5043